myozone geradores de ozônio
Voltar

Eficácia do ozônio em grãos de trigo infestados com Rhyzopertha dominica

Ano: 2013

Tipo de Trabalho: Dissertação de Mestrado em Engenharia Agrícola

Centro de Pesquisa: Universidade Federal de Viçosa

Orientador: Lêda Rita D’Antonino Faroni

Autor: Gutierres Nelson Silva

Área de Atuação: Controle de inseto-pragas com Ozônio

Palavras-chaves: Milho - Armazenamento, Ozônio, Pragas - Controle, Besourinho

Existe a necessidade de encontrar novas alternativas para o controle de insetos-praga em unidades armazenadoras e processadoras de grãos, que possibilitem a manutenção da qualidade dos produtos e que ocasione menor impacto ambiental.

Uma alternativa consiste no uso do gás ozônio, um poderoso agente oxidante. Embora os efeitos tóxicos do ozônio já sejam conhecidos para os insetos-praga de produtos armazenados, são escassas as informações sobre os seus efeitos no interior de uma massa de grãos.

Este trabalho teve por objetivo avaliar a toxicidade do ozônio sobre Rhyzopertha dominica em grãos de trigo, bem como avaliar a taxa instantânea de crescimento populacional (ri) destes insetos expostos a tempos-letais. Aliado a isto, objetivou-se avaliar o efeito da ri nas características físicas, fisiológicas e físico-químicas dos grãos de trigo.

A toxicidade do ozônio foi avaliada através de estimativas dos tempos-letais para 50 e 95% (TL50 e TL95) dos insetos adultos. O ozônio foi aplicado na concentração de 1,61 mg L-1 e fluxo de 2,0 L min-1.

Os grãos foram ozonizados no interior de recipientes cilíndricos de PVC com 20 cm de diâmetro e 100 cm de altura, os quais continham em seu interior os insetos acondicionados em gaiolas plásticas, contendo 400 g de grãos de trigo. As gaiolas foram distribuídas no interior da massa de grãos em três pontos distintos: sobre o plenum, parte mediana e parte superior. Foram utilizadas três repetições com 20 insetos, variando o período de exposição ao gás.

Nas tampas inferior e superior dos cilindros foram instaladas conexões para injeção e exaustão do gás, respectivamente.

Para a estimativa da taxa instantânea de crescimento (ri) e testes de qualidade foram utilizados apenas os grãos provenientes das gaiolas com os insetos, distribuídas na parte superior.

A taxa instantânea de crescimento (ri) foi determinada utilizando os tempos-letais (TL10, TL30, TL50, TL70 e TL90), obtidos no bioensaio de toxicidade. Foram utilizados 50 insetos adultos, não-sexados.

Após a exposição ao ozônio, a massa de grãos de trigo contendo os insetos foi retirada das gaiolas e transferida para frascos de vidro de 0,8 L e, após 60 dias, a progênie adulta foi contabilizada.

Para avaliar o efeito da taxa instantânea de crescimento na qualidade do trigo, foram realizados testes de condutividade elétrica, percentual de germinação, teor de água, peso hectolítrico e teor de cinzas e proteínas.

Os resultados de toxicidade indicaram que os períodos de exposição ao ozônio, necessários para ocasionar a mortalidade de 50% (TL50) e 95% (TL95) dos adultos de R. dominica, aumentou à medida que se distanciou as gaiolas contendo os insetos do ponto de injeção do gás ozônio.

Com o incremento do período de exposição ao gás ozônio, foi observado que a taxa instantânea de crescimento de R. dominica reduziu, após 60 dias de armazenamento. Observou-se, correlação significativa entre a taxa instantânea de crescimento e as características físicas e fisiológicas dos grãos de trigo.

A presença de R. dominica na massa de grãos de trigo, provenientes da taxa instantânea de crescimento, possivelmente, afetou os parâmetros físicos e fisiológicos dos grãos de trigo.

Artigo Completo